sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Visões do Passado - Distribuidora de Açúcar Diana em Palmeira

Por: Luiz Gastão Gumy
______________________________________________________




Hoje escrevo sobre esta distribuidora que pertenceu ao Sr. Heitor de Araújo e Silva.
Heitor nasceu em Palmeira em data de 23/10/1899, filho de José de Araújo e Silva e Joanna de Araújo e Silva.

Com 13 anos de idade, trabalhava como tropeiro viajante percorrendo em lombo de burro todo o Caminho das Tropas. Mais tarde veio a trabalhar com o Sr.Tobias de Macedo no ramo de comércio em geral. Passado alguns anos, Heitor foi para Curitiba e lá conseguiu emprego na empresa do Sr. Emilio Romani que era proprietário da fábrica de açúcar “Diana”. Em Curitiba, conheceu a Sra. América Jeanpauli com quem se casou. Mais tarde retornou para Palmeira e aqui abriu um depósito o qual iniciou somente com o açúcar “Diana” que já era um produto muito conhecido e bem comercializado. Mais tarde, além do açúcar, começou também a trabalhar com produtos  de limpeza, velas e sal.Todo o comércio palmeirense ali se abasteciam daqueles produtos, inclusive o pessoal do interior que vinham com suas carroças de toldo para não molhar as mercadorias e dali saíam bem carregados para comercializarem em seus armazéns. Também, cidades vizinhas como Porto Amazonas, Lapa, Ponta Grossa, São João do Triunfo e muitas outras vinham aqui buscar aqueles produtos. Lembrando que as famílias Vida e Zitel da localidade de Vilinha, faziam fretes para o Sr. Heitor, transportando seus produtos para outras localidades como: Porto Amazonas, Santa Bárbara, Lago, Quero-Quero e outros localidades.
Durante a semana o Sr. Heitor ia anotando os pedidos e quando completava o bloco, ligava ou passava telegrama para a empresa de Emilio Romani o qual imediatamente se prontificava em despachar as mercadorias por trem, e quando aqui chegavam já estava sendo esperado por diversos carroceiros da cidade para transportarem aqueles produtos até o depósito que ficava na Rua Vicente Machado, ao lado do Clube Beneficente, como se vê na foto.
Heitor de Araújo e Silva teve quatro filhos: Heitor Junior, Jurandir (Professor), Ide e Alda. Em 01/09/1971 se deu em nossa cidade a maior geada de todos os tempos, e foi neste dia que o Sr. Heitor faleceu, deixando para seu filho Jurandir a responsabilidade de continuar com a distribuidora. Hoje, neste prédio funciona o Cartório de Registro de Imóveis de Eneida Vida Bornancim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário